x

Percpan retorna a Salvador com shows gratuitos em espaços públicos

segunda-feira, 19.05 10h44
BAHIA TODO DIA

Depois de longos quatro anos sem acontecer aqui em Salvador o evento de reconhecimento internacional e que festeja a diversidade do batuque, o Panorama Percussivo Mundial (Percpan), está de volta entre os dias 25 e 27 de julho. A programação do festival reúne importantes nomes locais, do Brasil e do mundo.O evento tem o objetivo de trazer a percussão para o centro da musicalidade internacional e promover intercâmbios diversos dentro do universo percussivo. 

Este ano, o Percpan não será no Teatro Castro Alves, como tradicionalmente acontecia, o evento vai para as ruas de Salvador, em local a ser definido, mas ocupando o espaço público, com shows gratuitos.

“O Percpan tem característica regional, mas com grande apelo universal. Levar um evento assim pra rua, para o espaço público, é o casamento que a gente precisa para nossa política de desenvolvimento urbano”, destaca o secretário municipal de Desenvolvimento, Cultura e Turismo (Sedes), Guilherme Bellintani.

O apoio da prefeitura – que investiu R$ 400 mil em patrocínio – foi fator preponderante para o retorno do Percpan. “Tava difícil viabilizar qualquer coisa cultural na Bahia nos últimos anos. A nossa motivação foi o convite do prefeito para fazer parte do calendário cultural da cidade”, afirma Beth. Com isso, a realização do evento está assegurada até 2016. “Ver um projeto como o Percpan e não cuidar dele, não seria inteligente de nossa parte”, endossa Bellintani.

Na festa que celebra os ritmos percussivos, a curadoria fica a cargo de três músicos e produtores experientes: o maestro Letieres Leite, o produtor cultural Alê Siqueira e o músico e ensaísta José Miguel Wisnik. Ao lado de Beth, eles assinam a programação do Percpan que, em sua 20ª edição, se divide em três temas, um para cada noite: Percussão, Voz, Corpo e Palavra; Panorama Percussivo Feminino; e Das Matrizes às Batidas Contemporâneas

Encontros Logo de saída, os baianos da Banda de Boca dividem o palco com os paulistas do Barbatuques. “É um dos trabalhos de percussão vocal mais importantes do país”, elogia Alê. “Esse encontro é pra possibilitar um momento juntos pela coincidência da técnica que usam, de vocalização dos instrumentos, e pela coincidência estética da execução”, completa Letieres.

A noite de abertura ainda conta com a atração internacional Vocal Sampling, de Cuba, precursores na arte de contemplar a percussão apenas pelo corpo, e que vai fazer dueto com os Barbatuques. Pra encerrar, show do rapper paulista Mano Brown, dos Racionais MC´s.Na segunda noite, destaque para outra atração de fora: a multiartista Sayon Bamba, da Guiné Conacri. Sayon se apresenta juntamente com a Banda Didá e a cantora Margareth Menezes na noite que homenageia a presença feminina na percussão. 

A noite em celebração às mulheres ainda reserva encontro inusitado entre As Ganhadeiras de Itapuã e o grupo de pandereteiras Leillía, da Galícia, Espanha,  numa combinação entre ritmos ibéricos e brasileiros. “Você tem aí um fio condutor, quando pensa nas primeiras células rítmicas. Existem interseções naturais de gêneros e harmonias”, defende Alê Siqueira, complementado por Letieres. “O toque da Galícia é muito próximo do ijexá das Ganhadeiras”. 

A terceira noite, intitulada Das Matrizes às Batidas Contemporâneas, vai do novo grupo baiano Aguidavi do Gegê à consagrada banda norte-americana Trouble Funk. Apresentam-se ainda Marcelo D2, Percussivo Mundo Novo, que convida o Samba Chula de São Braz, e a dupla formada por Gabi Guedes e o DJ Cia, que convidam Nelson Maca, Opanijé e Simples Rap’ortagem.

Já passaram pelo Percpan artistas vindos de várias partes do mundo, além de grandes nomes da música nacional, como Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gal Costa e Maria Bethânia. Itinerante, o Panorama já contou com edições em Paris (2000) e Nova York (2002).

Compartilhe Facebook Twitter G+