x

PercPan volta com grandes atrações grátis

quinta-feira, 17.07 10h15

O filho pródigo. Foi com essa imagem, da cria que torna ao lar, que a 20ª edição do PercPan – Panorama Percussivo Mundial foi lançada na terça-feira, 15, em entrevista coletiva no gabinete do prefeito Antonio Carlos Magalhães Neto.
“O PercPan é o filho que foi embora e rodou o mundo, mas é importante que ele esteja de volta”, afirmou Guilherme Bellintani, secretário de Desenvolvimento, Cultura e Turismo de Salvador.
“Ele se alinha perfeitamente na atual política cultural de Salvador, que quer pensar o novo, mas também não quer jogar fora o que deu certo, como o PercPan”, declarou.
O festival volta diferente, com cara de festa de largo soft: três dias de shows gratuitos no Terreiro de Jesus, com grandes atrações populares fechando a noite.
“O PercPan ficou quatro anos sem acontecer. Se o poder público o tivesse apoiado, isso não teria acontecido”, disse o prefeito. Ele ainda destacou que “Salvador é a capital nacional da percussão. Então, jamais podemos abrir mão de um evento desse porte, de caráter universal”.
Ao concluir, o prefeito disse que, no governo anterior, o orçamento municipal para a cultura (em 2012) foi de R$ 500 mil. “Este ano, entre aporte público e privado, este orçamento será próximo de R$ 40 milhões”.

Volume mais baixo

No lançamento, também estavam a criadora do PercPan, a produtora Elisabeth Cayres, e um dos curadores do festival, o músico Letieres Leite, que trabalhou ao lado de José Miguel Wisnik e do produtor Alê Siqueira. “Agora que fomos para a rua, vamos trabalhar nos moldes dos festivais de rua do mundo, que é com um volume mais baixo”, disse Leite.
“A segunda coisa é promover uma troca dinâmica de atrações. Cada artista visita o outro. A última música de cada show já contará com o artista seguinte participando no palco. A percussionista da Galícia participa de uma música das Ganhadeiras de Itapuã, por exemplo”, contou.
Já Beth Cayres disse que levar o PercPan do teatro para a rua sempre foi um desejo dela. “Percussão é rua”, notou.
Ela ainda revelou que uma das atrações, o grupo feminino Orquestra Obìrin, formado para o festival, “já foi convidado para ir à França gravar um disco”, concluiu.

A TARDE

 

Compartilhe Facebook Twitter G+