2001

NACIONAIS
Carlinhos Brown, Rita Lee, Maracatú Nação Pernambuco, Antúlio Madureira, Mestre Salustiano, Raizes Percussivas, Boi Bumbá, Marco Suzano, XRS Land Project, Gilberto Gil, Marcos Suzano.

INTERNACIONAIS
Tamboro Mutanta Argentina, Toca Rufar Portugal, Thirry “Titi” Robin França, Soriba Kouyate Senegal.

LOCAL Recife
DIREÇÃO ARTÍSTICA / CURADORIA Gilberto Gil e Marcos Suzano

_

RECIFE RECEBE TAMBORES DO MUNDO NA 8ª EDIÇÃO DO PERCPAN
Depois de conquistar platéias das cidades de Salvador, São Paulo e Paris, os tambores do mundo chegam a Recife. De 22 a 24 de novembro de 2001, a capital de Pernambuco torna-se também capital mundial da percussão durante a realização do 8o. PercPan. Lançado na Bahia, em 1994, pela socióloga e produtora cultural Elisabeth Caires, o Panorama Percussivo Mundial estabeleceu-se nos anos posteriores como o mais importante evento do gênero no cenário internacional. Demonstrou assim que a linguagem dos tambores, criada nos primórdios da cultura humana, é absolutamente universal.
O PercPan já nasceu com plena consciência de seu potencial. “A perspectiva de realizá-lo a cada ano pode contribuir de modo significativo para que Salvador se torne um dos grandes centros mundiais da música percussiva, transformando-se num pólo irradiador das mais diversas tendências do gênero”, previa acertadamente a criadora e diretora geral do evento, no programa oficial da primeira edição, que aconteceu na capital baiana.
Seis anos depois, em 2000, o PercPan tornou-se itinerante: ultrapassou as fronteiras da Bahia pela primeira vez, realizando também edições especiais em Paris e São Paulo, recebidas com euforia por parte do público e elogios da crítica especializada. Agora o festival desembarca em Recife, reverenciando novamente a rica tradição cultural de Pernambuco. Quem tem acompanhado a história do PercPan sabe que vários artistas pernambucanos, como Naná Vasconcelos, Lenine, Alceu Valença, Siba e Erasto Vasconcelos, já fizeram parte de seus programas. A primeira edição pernambucana do PercPan concretiza outro antigo sonho da produtora Elisabeth Caires: realizá-lo ao ar livre, com entrada franca.  Isso acontece pela primeira vez, na Praça do Marco Zero, no centro histórico de Recife, graças aos patrocínios da Petrobrás, Eletrobrás e Secretaria de Turismo de Pernambuco.
Como nos anos anteriores, o público do PercPan poderá apreciar um elenco de primeira linha, que combina expoentes da percussão internacional e nacional, com grandes nomes da música popular brasileira. O músico senegalês Soriba Kouyaté, o cigano frânces Thierry “Titi” Robin, o grupo argentino Tamboro Mutanta e a orquestra portuguesa de percussão Tocá Ryfar compõem o elenco internacional. Prometendo shows criados especialmente para o festival, a ala brasileira destaca o baiano Carlinhos Brown, os paulistas Rita Lee e XRS Land Project, o grupo amazonense Boi Bumbá e os pernambucanos Antúlio Madureira, Mestre Salú, Maracatu Nação Pernambuco e Raízes Percussivas. Como mestres de cerimônia, introduzindo as atrações, estarão Gilberto Gil e o percussionista carioca Marcos Suzano, que também passa a auxiliar o músico baiano na direção artística.
Não só os elogios da crítica e o prestígio das dezenas de artistas que participaram das edições anteriores deste festival, mas também o profissionalismo e a seriedade da equipe de produção, podem explicar o alto conceito que este evento desfruta na mídia nacional e estrangeira. Ao realizar sua oitava edição, o PercPan é hoje um evento consagrado, que transformou o Brasil em centro difusor da música percussiva.

Vídeos